Salve, salve Belchior!

O artista que marcou o Brasil fica consagrado na história e deixa uma grande lacuna na MPB

Por: Lima Sousa/ Capa: Luis Claudio Anjos/ Imagens: internet

Transcender

Terça-feira, 2 de maio de 2017. No palco do Anfiteatro do Centro Cultural Dragão do Mar, acontecia a missa de corpo presente do cantor e compositor Belchior. Um espaço voltado para as atrações da cidade havia sido tomado por um contingente de pessoas que lamentavam a morte do ícone da MPB. Ele deixava uma imensa lacuna na arte musical do país e especialmente para o público cearense. Uma cena marcante que dilacerou os corações dos familiares, amigos e principalmente dos fãs que assistiam à missa celebrada pelo Frei Ricardo Regis. O frade capuchinho tinha uma voz suave e dirigia a homilia em frente ao caixão do artista.

“A vida é uma passagem para todo ser humano, mas quando esse ser humano realizou ao longo do seu caminho uma história diferente, então, ele vai deixar, digamos, um legado maior. Seja de expressão, de sensibilidade, da música e da arte em si. Tudo isso nos faz transcender. Celebrar um momento como este é partilhar a dor que a família e os fãs estão vivendo.  O talento e o dom que Deus deixou em nós é o melhor de Deus. Então, são essas coisas boas que o outro teve e que nós fazemos esse memorial que serve também a gente. A música nos transcende, nos faz viver, nos alegra, nos mergulha no passado, nos deixa no presente e nos lança para o futuro também”, completou o padre.

O caixão no centro do palco era velado de orações que soavam em uníssono por familiares e fãs que vieram de outros estados do Brasil. A cena fúnebre era contemplada pela imprensa que infestava o local a fim de registrar um momento ímpar na história da música popular brasileira. A morte do cantor teve repercussão em todos os veículos de comunicação do país. Todos queriam fazer a melhor cobertura sobre a despedida do homem que se transformou em um dos maiores símbolos da musica, da poesia e da filosofia nordestina. A famosa plataforma de buscas, o Google, registrou um número relevante de pesquisa pelo artista depois de sua morte. No site Tribuna do Ceará, foi publicada uma matéria cujo título era: “Morte de Belchior provoca ‘explosão’ de buscas pelo cantor no Google”. A matéria, escrita por Lucas Barbosa, mostrou números significativos do público que buscaram pelo cantor e compositor na internet. Em nível nacional, o  estado do Ceará foi líder das buscas de acordo com os dados do Google Trends. As suas canções também foram alvo das pesquisas digitais; as três mais procuradas foram “Todo sujo de batom”, “Como o Diabo Gosta” e “Coração Selvagem”,com um número de 250%. Esses dados nos levam a crer que a vida e a obra de Belchior merece ser estudada com todos os seus detalhes.

O governador do Estado, Camilo Santana, tinha visitado o velório na segunda-feira de feriado internacional. A data 1º de maio homenageava o dia do trabalhador em vários países do mundo. No site de notícias da cidade, o ‘G1 Ceará’, o governador aduziu consternado:

“Além do grande poeta que era, ele usava a sua letra para lutar por um mundo melhor. E viver um mundo melhor, porque a gente sonha, mas a gente quer viver esse mundo melhor”.

Mas a música estava predestinada a fazer parte de sua trajetória de vida. Foi na infância em que passou a estudar piano e música coral no Ceará. Na cidade natal onde nasceu, Sobral, trabalhou na rádio e no ano de 1962 mudou-se para Fortaleza a fim de estudar Filosofia e Humanidades. Mais adiante, foi estudante de medicina, vindo a largar o curso no ano de 1971, – encontrando-se na música, onde se entregou de Corpo e Alma. 

Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes, o notável Belchior, como se tornou conhecido no mundo artístico, foi encontrado morto pela esposa Edna num dia de domingo, em Santa Cruz do Sul (RS). O trovador estava com 70 anos de idade e vivia há quatro anos na cidade de 126 mil habitantes do Vale do Rio Pardo, cerca de 150 km de Porto Alegre. Sua morte repentina dá indícios de causa natural, uma vez que a esposa relatou à polícia que Belchior havia se sentido mal na noite de sábado, quando se queixou de frio e foi descansar no sofá da sala, onde produzia suas composições, e não acordou mais. O noticiário ‘G1 Ceará’ informou também que a morte do cantor deu-se em função de um rompimento da artéria aorta, segundo a delegada Raquel Schneider que manteve contato direto com o médico do IML da cidade de Cachoeira do Sul, responsável pela necrópsia do artista.

A repercussão nacional fez o Governo do Estado do Ceará e a Prefeitura da cidade de Fortaleza decretar LUTO oficial de três dias. Um luto que vai levar um longo período para os fãs encarar o fato de que Belchior não está mais entre nós. O tempo que se leva para transcender a perda de alguém não se dá em poucos dias. Quanto mais ao tempo que o artista devotou com a arte de emocionar o público. A despeito disso, perante o pesar das autoridades, a ficha vai demorar a cair, contudo, cada um fez a sua parte, dando o seu melhor no que se refere à solidariedade dentro das formalidades. A morte desperta fantasmas e deixa traumas que leva tempo para sarar. O bom é que Belchior nos deixou como herança um repertório musical recheado de inspirações para superar a saudade.

Leia mais>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Anúncios

Um comentário sobre “Salve, salve Belchior!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s