Os Cinco estilistas da Moda Autoral Cearense

Eles configuram o disputado cenário da moda local e se destacam no que fazem de melhor

Por: Lima S. / Capa : imprensa DFB 

Coluna: Moda Local

Pode-se dizer que o mundo fashion tem seus dias de efervescência quando as salas de desfiles são montadas na capital cearense. Sim, porque a moda autoral tem seus dias de glamour. E essa festa acontece nas instalações do Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza. É a hora de assistir a um espetáculo da moda nordestina que tem seus melhores dias do ano. A versão mais criativa, ou seja, o outro lado da moda mais cultural, artístico e conceitual assume sua forma no maior celeiro que promove e lança talentos no país. É o Dragão Fashion Brasil.

L. FERNANDES / DFB

Um dos nomes mais importantes que configura este cenário é o do estilista Lindebergue Fernandes. Sua participação no evento completou 15 anos de atuação. No site oficial do DFB ele recebeu o epíteto de ‘hot ticket absoluto’ pela marca atingida em 2017. O designer tem o estilo único de ‘fazer moda’ e adiciona em suas criações uma abordagem que reflete regionalismo, drama e memória. Fernandes soma uma lista entre outros profissionais que fazem, de fato, a moda autoral fluir na capital cearense. O gancho da ‘Transcendência’ foi o tema de sua coleção que estampou peças com referência eclesiástica, refletindo a imagem das freiras e dos noviços na passarela. Outra vez, o sagrado conduziu a essência do início ao fim da sua coleção que evocou uma leve lembrança do desfile de 2005, quando abordou a fé do sertanejo. Hey,Hosana nas alturas!

CON. DOS NOVOS/ DFB

Sob o novo título, ‘Dragão Fashion Brasil Festival’ que comemorou 18 anos de pura festa, o evento deu continuidade pelos ares da América Latina. A edição passada teve a rota pelos destinos da Columbia e, dessa vez, o Peru traduziu a essência da ‘Alma Latina’ como tema central, resgatando o formato anterior de apresentar os desfiles em três salas ao público. Nessa hora, quem é fashionista tem a chance de assistir de perto aos Dragões da moda autoral cearense dando aquele show. Não esquecendo o ‘Concurso dos Novos’, que traz estudantes das universidades de todo o Brasil.

O Ceará integrou três instituições de referência como a UNIFOR, ATENEU e o Centro Univ. Estácio do Ceará na playlist dos finalistas. A iniciativa do evento permite que os novos criadores sintam na pele a diferença entre a carreira autoral e comercial em fase acadêmica. É o momento em que os estudantes podem avaliar os altos e baixos da profissão e saber se irão continuar tocando o barco pra frente. Em entrevista para o site do DFB, o estilista Lindebergue Fernandes disse:

“Essa nossa carreira não é fácil, nem cheia de “plumas e paetês”, como muitos imaginam. Você tem que estar preparado para o que vier, pois é uma área que exige demais do criador em diversos aspectos. Às vezes, ser conceitual é praticar exatamente o oposto do seu lado comercial”.

K. Nepomuceno / DFB

É importante ressaltar que nessa festa de moda autoral o estilista Kallil Nepomuceno também esbanjou o Glamour de suas criações. Seu jeito de ‘fazer moda’ segue o viés da alta costura clássica feminina e ganha novo upgrade na marca. No Ceará, ele é savoir faire quando se trata de roupas para festas. Seu trabalho revela a riqueza do estilo chic, moderno ao contemporâneo. A sua festa tem o mood de elegância e sofisticação na bagagem que conta com mais de 20 anos de carreira. É por isso que ele integra a lista dos principais nomes que fazem a moda autoral no Estado.

D.Lee / DFB

O estilista David Lee está entre os pilares da moda autoral e faz a diferença explorando no seu trabalho o universo masculino. O repertório de sua criação tem um jeito de ‘fazer moda’ que envolve alfaiataria, estruturas, técnicas, criatividade e funcionalidade das peças. Em suma, Lee é aquele designer que apresenta o ‘Homem’ estiloso, natural, enérgico e com fortes doses de ‘Atitude’ ao se vestir. Os radares da moda brasileira apontam o designer como a revelação do momento em nível nacional.

Iv. Nunes / Foto: @eunivansilva

Seguindo o ritmo da festa, a ‘bossa’ do estilista Ivanildo Nunes se apropria no seu estilo de ‘fazer moda’ da técnica ‘handmade’. A alma do seu trabalho envolve a essência do ‘feito à mão’, que transforma peças de roupas em obras de arte. Seus longos vestidos de festa transformam mulheres em Mona Lisas de Leonardo da Vinci. É o oposto de Kallil Nepomuceno, que incorpora Deusas, Musas e as Damas da noite em seus vestidos. Já Nunes revela Rainhas, Princesas e as Divas do red carpet. Ele é o designer que melhor traduz a artesanalidade, as técnicas manuais e a valorização das rendas no seu trabalho direcionado ao público feminino.

DFB

Mas, quem fez falta no elenco da edição foi o estilista Lino Vilaventura, paranaense radicado no Ceará. Lino é um dos membros importantes da casa e que fortalece a moda autoral com o seu trabalho conceitual, teatral, fluídico e performático; com certeza, a “festa”, não foi a FESTA! A última coleção do designer foi vista em 2015 nas passarelas do DFB. Ele apresentou peças que fizeram o resgate de toda a sua trajetória e que antes foram desfiladas na edição de 20 anos do São Paulo Fashion Week. Lino Vilaventura deixa um hiato no momento mais importante da moda local com um sumiço relâmpago e sem deixar vestígios aos fãs. Lino, por onde andas?

No resumo do saldo que conclui os créditos para Lindebergue Fernandes, David Lee, Kallil Nepomuceno, Ivanildo Nunes e Lino Vilaventura, o quinteto agita uma das mais importantes festas da moda que acontece no Estado. Quem promove esse circuito é o produtor Claudio Silveira. Ele deu aquele upgrade no show que completou 18 anos de atuação, – conectando uma pluralidade cultural no maior espetáculo de moda autoral da América Latina que gera 1.000 empregos a cada edição. Agora, sob o novo título: ‘Dragão Fashion Brasil Festival’. Viva essa Festa!

Revisão: Juliana Nascimento/ Fotos – Imprensa DFB / Fotógrafos do DFB: Roberta Braga/ Cláudio Pedroso e Pedro Brago/ A foto nº 5: Modelo – Helen de Lima / DM CASTING MODELS – Por: Deyson Marques.