Maxi Moda 2015 – Seminário de Business de Moda do Nordeste

Fotógrafo: Luís Claudio
Fotógrafo: Luís Claudio

O Maximoda é um dos maiores eventos sobre moda e negócios consolidado no Nordeste. A edição deste ano trouxe no mês de agosto o tema “A Vitória da Criatividade – Como superar os tempos de incerteza”. Entre as pautas discutidas, o seminário debateu o cenário econômico da moda no país durante a tarde de 21 de agosto, no auditório do shopping Iguatemi,para aproximadamente 450 pessoas. O público, formado por diversos profissionais envolvidos na cadeia produtiva do setor, ouviu com o interesse os palestrantes. Professores, estudantes, gestores, empresários, estilistas e outros veículos agregados a moda. Todos eles foram buscar esclarecimento do momento atual onde não só a moda é afetada,mas muitos outros segmentos.

Em sua 8ª edição, o maximoda tem a apresentadora Márcia Travessoni como a grande idealizadora do evento. Ela não podia deixar passar em branco o balanço econômico do setor nos últimos dias. Foi pensando no que tava na boca do povo que o maximoda foi contemplado por palestrantes de renome, dos quais debateram a realidade do mercado de estilo para os próximos anos. Entre eles, Carlos Ferreirinha da MCF consultoria, autoridade no mercado premium na ameríca latina, Marta Rodrigues, diretora criativa da grife infantil, Fábula, Luis Taniguchi, presidente da Tani Brasil e Jordana Damiani e sua irmã Damyla Damiani, head comercial e estilista da marca Damyller. 

“Não tinha como agente deixar de discuti esse momento que estamos vivendo no Brasil. Discuti isso com o setor e trazer empresas, marcas que conseguem se fortalecer e superar qualquer tempo de incerteza, isso da uma renovação pra quem estar do outro lado. O Maximoda é uma marca bem consolidada e ela tem um foco, ela tem um objetivo, isso é o que faz a diferença. É algo que vem dando certo”, destaca Márcia Travessoni. 

9V9A1704
Foto: Luís Claudio

Mas quem fez o público tremer as bases foi o presidente da MCF consultoria, Carlos Ferreirinha com a palestra “O que as marcas de luxo têm a nos ensinar nesse cenário de crise”. Mesmo num cenário em que o consumidor tem o receio do endividamento, as grifes de luxo são exemplos importantes, pois possuem larga experiência e alcançam nas mais diversas situações. O curioso, porém, é saber que estas marcas também estão aprendendo com a crise. Por que seria um luxo se elas não fossem abaladas. No mínimo, eu gostaria de saber como elas estão conseguindo ser resilientes para sustentar o ritmo.

“A gente tem uma tendência em achar que só elas ensinam. Esse é o momento que elas têm que aprender a serem mais flexíveis, de entender um pouco mais da demanda do mercado brasileiro. Nem tudo aquilo que funciona lá fora teoricamente funciona no Brasil. Então, você tem que ser mais humilde, um pouco mais flexível”, afirma Carlos Ferreirinha.

O mercado de luxo no país em 2015 estar se mantendo na sua evolução comparada ao ano de 2014. Neste ano a estimativa de crescimento econômico no setor será de 4%. O índice é o menor comparado ao ano de 2013 aonde crescia com 7%. Segundo empresa Euromonitor, especialista em pesquisa de mercado para o site Brasil econômico.

“Eu digo que o Brasil é um país muito complexo, tudo é muito difícil. Então, as marcas têm que se colocar mais a disposição de serem mais humildes para aprender no mercado brasileiro e entender inclusive que o Brasil não é mais somente São Paulo, e essas marcas tem sempre uma predisposição maior de somente ficarem em São Paulo. Agora é o momento que elas também têm que aprender sobre nordeste e sobre Fortaleza”, completa Carlos Ferreirinha.

Foto: Luís Claudio
Foto: Luís Claudio

O dia 21 de agosto de 2015 foi sem dúvida uma data marcante para muitos profissionais da moda local no ceará. Acredito que muitos não esperavam se deparar com assuntos tão relevantes –, muito menos com o que escutaram. Na verdade, as pessoas não saíram às mesmas de quando chegaram. Elas foram tomadas de ânimo e doses de motivação diante do quadro que assusta um grupo de pessoas. Gente que ama e respira moda, mas que, acima de tudo, reconhece que o momento é de tensão e se preocupam como se manterão nos próximos dias. 

“O evento tá muito primoroso. Os palestrantes têm um nível muito bom, e isso agrega muito pro segmento do Ceará. Agente pode ter experiência de marcas famosas e que agente sempre ouviu falar e estar perto de todas essas pessoas que as fazem. Agente tem muito a aprender com esse mercado. Realmente, foi melhor do que eu esperava”, diz Wikaro Lima, Designer de moda e Professor da Fanor.

11721126_690129504424230_1069829193_n Revisão: Mayara Magalhães (Socióloga)/ Por: Lima Sousa/ Editado: Lima S./ Agradecimentos: Fotógrafo: Luís Claudio/Capuchino Press/Assessoria de imprensa: Evelane Barros, Mariana Queiroz/ Marcia Travessoni/ Carlos Ferreirinha/Foto de Capa: Maximoda.

Anúncios

Mistura que é Cultura

10609546_923880400970430_2571445427461395982_n

A cultura é um dos segmentos onde o homem manifesta as linguagens de expressão para comunicar a sua percepção com o mundo em torno de si. É por meio desse veículo que estão memorizados diversos perfis de caráter simbólico, regional, religioso, artesanal, urbano, musical, político, poético, literário, inclusivo, modismo e criativo na sociedade. Portanto, o que se expõe de maneira que estimula a reflexão e o diálogo construtivo é a cultura em sua essência.

A primeira edição da Mostra ‘Mistura que é Cultura’ é uma realização dos alunos do curso de produtor cultural, idealizado por um dos programas do SENAC em parceria com os alunos de fotografia da instituição. A junção dos trabalhos deu origem à organização do evento que traz a participação de ambas as linguagens. A iniciativa é promover a função do produtor cultural, responsável pela produção do início, meio e fim nas programações de médio ou grande porte das atividades artísticas.

Produtor Cultural

O produtor cultural faz o acesso entre o artista e os instrumentos que dispõe no desenvolvimento de ambas as partes, facilitando o percurso de suas funções. Se formos resumir, podemos dizer que o trabalho do produtor cultural é resolver problemas”, diz Flaviene Vasconcelos.

10882172_923881320970338_5228612554575942891_nO grande destaque, em particular, é perceber o lado funcional da cultura no momento atual. O exercício da cultura é algo fundamental no processo de interpretação dos códigos vistos dentro de um grupo com seus gestos e costumes, bem como o engrandecimento dos horizontes desse olhar, outros sim, podendo reconhecer em sua dinâmica a necessidade do ser humano se fazer notável na sociedade. Na prática, ela classifica os padrões, os comportamentos, as crenças, os conhecimentos, os costumes e, por último, as diferenças que norteiam as civilizações. 

Obra Coletiva


O coletivo nasceu da necessidade de colocarmos em prática aquilo que vimos no decorrer das aulas. O curso de produtor cultural é abrangente por não trabalhar especificamente com uma linguagem artística. A turma é bem diversificada e cada um já tem uma experiência na música, no teatro, na dança e com isso resolvemos reuni-las dentro do que estudamos no decorrer dos meses, culminando em um espetáculo das diversidades e talentos artísticos”, ressalta Flaviene.

   Mercado

 
O mercado cultural do país está crescendo muito,mas nessa área de produção cultural ainda éjovem, uma criança. Existem vários artistas com experiências de autoprodução. Não existe uma carta de produtores culturais para atender a essa demanda. A iniciativa vem como uma luva nesse momento de movimento cultural em Fortaleza no qual eles, os artistas, estão se posicionando. É onde entra o papel do profissional de produzir e resolver os problemas”, completa a produtora Flaviene Vasconcelos.

Trabalho10847895_923880297637107_1741455085493338855_n


Já existe uma turma de produtores atuantes no mercado de trabalho preparado para auxiliar na carreira e nas atividades culturais. Basta entrar em contato com a direção do SESC/SENAC para ter acesso aos profissionais que se encontram disponíveis para atender ao maior número de artistas. Nossa função pode ajudar na criação de um artista dentro da cidade, seja ele fotógrafo, humorista,bailarino, ator, músico, entre outros”, conclui Flaviene.

11219059_536702383147475_4434980115997658297_n Por: Lima Sousa/ Edição: Lima S./ Revisão: Janaina Gonçalves/Fotógrafo: Ulisses Narciso/Agradecimentos: Flaviene Vasconcelos/ SESC/SENAC : Endereço: Rua Bóris, 90 – Praia de Iracema, Fortaleza – CE, 60060-190